A 7ª arte como inspiração na 7ª edição da Modernos Eternos SP

A suíte principal no segundo andar da Casa Modernista da Rua Bahia, em São Paulo, é o cenário perfeito para um espaço cinematográfico, assinado por Maximiliano Crovato. Com seus 40m2, o grande quarto criado originalmente pelo arquiteto Gregori Warchavchik para o casal Luiz da Silva Prado, em 1930, hoje acolhe uma cena de cinema inspirada na Hollywood dos anos 1920/30, assinada pelo designer Maximiliano em releitura do estilo Art Déco especialmente para a sétima edição da Modernos Eternos SP, da qual participa desde a primeira.
A cama em aço polido e tiragem limitada (na Legado Arte), assinada pelo autor do novo projeto, cria o eixo central da ocupação deste espaço minimalista e, ao mesmo tempo, glamuroso, romântico e inspirador. A parede ao fundo ganhou dois arcos e nichos com vasos de Michael Young, e a parede da janela recebeu persianas Uniflex e cortinas com tecido Gastón y Daniela da Safira também confeccionadas pela Uniflex, em estampa com a qual homenageia um dos grandes decoradores cujo estilo passou pela casa: Germano Mariutti.
O tapete desenhado por Maximiliano remete com suas linhas à cama que recebe, por trás de sua cabeceira, a mesa de trabalho. “Cama-desk”, define Maximiliano, que escolheu o azul como cor predominante em seu ambiente, iluminado pontualmente com peças como o lustre de Michael Anastassiades.